CASARIO DE VILA DO CONDE


Janela manuelina

O centro histórico de Vila do Conde possui uma malha urbana com um casario interessante. Algumas destas casas, modestas, pela sua qualidade arquitectonica, particularmente pelas molduras de vãos, testemunham uma época de grande actividade economica e social. Existem umas dezenas de vivendas de fachada manuelina, desde a rua da igreja de S.João Baptista até à zona ribeirinha

Aqueduto

Casas manuelinas

CRONOLOGIA

  • 569

    Referência ao primitivo povoado de Vila do Conde como Castro sobre a foz do rio Ave

  • 868

    Afonso III de Leão manda repovoar as terras de Entre Minho e Douro pelos Condes Vímara Peres e Hermenegildo Guterres, o último dos quais talvez na origem do topónimo da povoação;

  • 953

    Carta de venda da vila do Conde com as suas salinas, pesqueiras e igreja construída no castro chamado de S. João

  • 1059

    O inventário dos bens do mosteiro de Guimarães, refere a Vila do Conde com as suas salinas, pesqueiras, igreja de S. João Apóstolo e, dentro do mar, a ermida de S. Julião Mártir

  • 1200

    Sancho I faz doação de Vila do Conde à sua amante D. Maria Pais, a Ribeirinha;

  • 1318

    D. Afonso Sanches e D. Teresa Martins fundam o mosteiro de Santa Clara

  • 1487

    Criação da Alfândega de Vila do Conde por ordem de D. João II

  • 1516

    Primeiro foral de Vila do Conde concedido por D. Manuel I

  • 1793

    Construção de uma ponte de pedra sobre o Ave substituindo a antiga Barca de Passagem


My Image
My Image